logo
GALATEA
(30.7K)
FREE – on the App Store

Segredos do Pecado

Depois que a mãe de Marcella Sinclair morre, ela não consegue deixar de se sentir um fardo para o irmão de dezoito anos. Então, quando ela recebe uma oferta para ganhar muito dinheiro como stripper, ela aceita. Ninguém pode saber … principalmente seu irmão, que está decidido a manter sua pureza e inocência para o resto de sua vida.

 

Segredos do Pecado por E.J. Lace está agora disponível para leitura no aplicativo Galatea! Leia os dois primeiros capítulos abaixo, ou faça o download do Galatea para obter a experiência completa.

 


 

O aplicativo recebeu reconhecimento da BBC, Forbes e The Guardian por ser o aplicativo mais quente para novos romances explosivos.

Ali Albazaz, Founder and CEO of Inkitt, on BBC The Five-Month-Old Storytelling App Galatea Is Already A Multimillion-Dollar Business Paulo Coelho tells readers: buy my book after you've read it – if you liked it

Leia o livro completo no app do Galatea!

1

RESUMO

Depois que a mãe de Marcella Sinclair morre, ela não consegue deixar de se sentir um fardo para o irmão de dezoito anos. Então, quando ela recebe uma oferta para ganhar muito dinheiro como stripper, ela aceita. Ninguém pode saber … principalmente seu irmão, que está decidido a manter sua pureza e inocência para o resto de sua vida.

Classificação etária: 18 +

Autor Original: EJ Lace

MARI

“Srta. Sinclair, fique um minuto depois da aula. Eu preciso falar com você. “

A voz de pedra do Sr. Keats me deixa nervosa.

De todos os meus professores, o Sr. Keats é o que mais me assusta.

Parece que nunca nos demos bem e sempre que estou na aula dele, me sinto culpada de algum crime terrível.

Eu acenei com a cabeça e amaldiçoei internamente a minha sorte.

Nunca fui do tipo boazinha, é como dizem que se eu não tivesse azar, não teria nenhuma sorte também.

Arrumando meus livros na minha bolsa e pegando minha jaqueta, observei o resto da minha classe me deixar para trás para ficar à sua mercê.

Não sei o que há com esse homem, mas ele sempre me faz sentir como a pior garota. Como se nada do que eu fizesse fosse certo.

Minhas notas perfeitas sem manchas atingiram uma espiral descendente nas mãos deste homem.

“Senhorita Sinclair, gostaria que eu apenas seguisse em frente e lhe desse uma nota de reprovação e está acabado? É como se você nem estivesse tentando “.

Ele suspirou enquanto se recostava na mesa de metal, cruzando os tornozelos e entrelaçando os dedos, colocando-os na fivela do cinto.

Voltando meus olhos para ele, lutei para encontrar a coisa certa a dizer.

“Nnn-não senhor, eu realmente estou tentando o meu melhor. Estou trabalhando na minha nota em sua matéria, senhor. Espero que esta próxima tarefa mostre esse esforço. “

Eu acenei novamente, observando seus olhos castanhos frios passarem por mim.

Como se ele estivesse tentando saber se eu estava mentindo, ou talvez ele simplesmente não fosse um fã do meu senso de moda.

“Eu duvido que você seja capaz de passar nesta matéria por conta própria, Srta. Sinclair. Você já pensou em conseguir um tutor? “

Toda a sua presença me faz contorcer.

Me sinto examinada e rejeitada em todos os níveis com ele.

“Sr. Keats, embora seja uma excelente ideia, eu não poderia pagar por isso. Eu não tenho certeza do que está me bagunçando agora, se você puder, por favor, me dê um pouco mais de tempo, tenho certeza que vou aumentar minha nota. “

Eu mexi com minhas unhas, juntando-as enquanto me inclinava para trás para aliviar um pouco da ansiedade que ele causa.

“Eu não acredito em otimismo, Srta. Sinclair, na verdade eu acho que isso é uma escolha ruim para você neste momento.”

Seu tom fez com que tudo parecesse tão definitivo, como se ele já tivesse se decidido que eu não posso passar em sua classe, então por que tentar.

“Senhor, por favor. Farei qualquer tarefa para obter crédito extra para ajudar a melhorar minha nota. Não posso reprovar nesta aula, preciso de todos os créditos do meu currículo para ser aprovada. Se eu reprovar nesta matéria, não poderei me formar com a minha turma no próximo ano. Por favor, senhor, por favor, reconsidere. “

Eu implorei a ele, de todo o coração, preciso passar nessa matéria. Não posso reprovar, tenho que me formar para poder ir para a faculdade.

Preciso da faculdade para viver e preciso do dinheiro para ajudar no sustento da minha família.

Somos apenas Erik e eu.

Ele trabalhou duro para nos levar tão longe.

Ele trabalha em dois empregos, eu quase não o vejo e se eu falhar, todo o seu trabalho terá sido para nada. Se eu reprovar nessa disciplina, é como se Erik também fosse reprovado e isso não pode acontecer.

Eu devo a ele mais do que isso.

Depois que a mamãe morreu, ele colocou o mundo nos ombros por mim.

Papai foi embora há muito tempo, eu nem me lembro dele. Somos nós contra o mundo agora.

Eu queria poder cuidar de mim mesma, pedi para conseguir um emprego, mas Erik rejeitou a ideia e me disse para concentrar na escola.

O Sr. Keats soltou as mãos, levando o dedo médio até a bochecha e passando ao longo do rosto até seu queixo.

Ajeitou seu terno cinza nos ombros e puxou para o lado para mostrar mais de sua camisa branca que estava enfiada em suas calças cinza combinando.

“Hmm … se você estiver interessada, posso ter uma maneira de você garantir sua nota. Venha a este endereço às cinco da tarde e eu a ajudarei com seu trabalho. Não vou oferecer de novo, então é pegar ou largar. “

Ele se afastou de mim, puxando um post-it amarelo de sua mesa.

Usando uma caneta de tinta preta, ele rabiscou um endereço e o estendeu em minha direção.

Sem pressa, pegue e segure para salvar a vida.

“Obrigada Sr. Keats. Eu prometo que estarei lá. Obrigada por esta oportunidade.”

Sorri para ele, meu peito se enchendo de gratidão.

O Sr. Keats acenou com a cabeça enquanto me dispensava oficialmente, eu praticamente pulei para fora da sala e pelo corredor até o meu armário.

Finalmente, uma boa sorte.

Sim, vai ser difícil trabalhar diretamente com o Sr. Keats, mas quando eu passar na disciplina, valerá a pena a luta.

Meu irmão é apenas quatro anos mais velho do que eu, sei o quanto é importante a minha dedicação à escola.

Ele não pode cuidar de nós dois para sempre. Ele nem mesmo teve tempo de chorar pela mãe antes de voltar ao trabalho.

Ele tinha apenas dezoito anos quando ela morreu, deixando sua irmã caçula de quinze anos completamente sob seus cuidados.

Ele largou a faculdade e arrumou outro emprego. Cuidar de mim o fez perder muita coisa.

Eu sei que ele se esforça muito e mantém a maior parte dos problemas fora do meu caminho.

Ele perdeu sua namorada de anos, Dana, porque não tinha tempo para ela, ele desistiu de sua bolsa de estudos e colocou seu futuro em espera.

Sua lista de amigos diminuiu para apenas Ross e Ben, com quem ele não sai muito, porque está sempre trabalhando.

Erik é meu super-homem pessoal. Eu não posso decepcioná-lo.

Eu simplesmente não consigo.

Se ele aguentou o mundo, todo o estresse, a dívida que a mãe nos deixou, as contas, parando e congelando a vida dele e assumindo total responsabilidade por mim.

O mínimo que posso fazer é lidar com o Sr. Keats.

Ou quem quer que esteja no meu caminho.

Se Erik pode ser tudo, eu também posso.

***

Me certifiquei que tinha tudo antes de sair da escola, e fui para casa a pé. São apenas alguns quarteirões, então não demorei muito para chegar em casa e me apressar para terminar minhas tarefas.

Erik não chegará em casa antes da meia-noite, então ter certeza de que ele tem o jantar pronto e roupas limpas quando ele fizer isso é importante. Depois de cozinhar e limpar a bagunça, me certifiquei de chegar na hora certa no Sr. Keats.

Saindo de casa com quarenta e cinco minutos de sobra, peguei um ônibus para cruzar a cidade e desci no ponto certo. Revendo o post-it pelo menos dez vezes, encontrei o endereço a tempo.

Faltavam apenas três minutos para as cinco, então fui em frente e bati.

Quando o Sr. Keats abriu a porta, fiquei de boca aberta. Sua roupa normal na escola é sempre terno e gravata, mas ver ele em sua casa é no mínimo estranho.

Sua camisa branca lisa caía bem nele, e a calça de moletom cinza claro com elástico parecia estar grande demais, mas eu não disse nada.

“Você está atrasada Srta. Sinclair.” Seus olhos frios me atingiram em cheio, me deixando constrangida. Eu olhei para o meu relógio para ver se estou realmente na hora certa.

“Sinto muito por isso, Sr. Keats, pensei que você tinha dito cinco horas.” Eu olhei para baixo, mantendo meus olhos em seus chinelos preto e branco. O Sr. Keats se vestia como uma das crianças da minha escola nas horas vagas. Eu sei que ele não é muito mais velho, talvez trinta e poucos anos, no máximo, mas ainda assim.

“Você ouviu direito, se você não chegar cedo, você está atrasada. Não vou aceitar atrasos de você. Caso você tenha se esquecido, Srta. Sinclair, estou lhe fazendo um favor e não serei usado.” Ele disse com firmeza, tanto que eu vacilei com suas palavras.

“Sss-sim senhor, eu entendo completamente. Me desculpe por isso. Não vai acontecer de novo. Eu prometo.” Mantive meus olhos baixos, não tinha coragem de olhá-lo nos olhos. É como se eu pudesse ser sugada por seu vórtice maligno se eu desse uma única olhada. Como se ele fosse a Medusa e eu virasse pedra ou algo assim.

“Venha por aqui.” Ele se afastou, acenando com a mão para que eu fosse atrás dele.

Sem perder um segundo, o segui, fechando a porta suavemente para que não desviasse sua atenção. Tirei minha bolsa do ombro, esperando por mais instruções.

O Sr. Keats parecia preocupado com algum trabalho que estava guardando.

Sua casa é legal, mas tem muito a cara de uma casa de homem. Dava pra ver que ele morava sozinho, seu apartamento de solteiro cheira a colônia de homem e a falta de decoração indica que pertence a um homem solteiro.

Tenho certeza de que minha casa seria bem parecida se fosse apenas Erik morando nela, mamãe não gostava muito de design de interiores.

Não é como se ela pudesse gostar, já que não tínhamos dinheiro, mas também qualquer dinheiro extra iria direto para seu hábito de cheirar pelo nariz.

Mamãe era viciada em cocaína. Mas não foi sempre assim, me lembro de quando ela começou a mudar. Quando ela teve uma overdose, não parecia ser real até que limpamos seu quarto.

Encontrei uma pequena bolsa embaixo do colchão, uma bolsinha na gaveta da cômoda e poeira branca espalhada na mesa de cabeceira.

Quando abrimos sua bolsa, parecia que havia sido atingida por um spray em pó.

Minha mãe teve uma overdose no ano novo há dois anos, ela não voltou para casa por dois dias, mas eu pensei que ela estava com seu namorado Scotty.

Quando fez três dias e nossa eletricidade foi desligada, eu não sabia mais o que fazer a não ser procurar Erik.

Depois que contei a ele sobre mamãe e o corte de energia, ele não pareceu preocupado. Para ser justa, ele estava em uma festa da fraternidade e estava mais chateado por eu ter aparecido lá do que o que estava realmente acontecendo.

No momento em que percebi que ele estava bêbado, procurei ajuda em outro lugar. Ben tinha acabado de chegar quando eu estava perdendo as esperanças, então contei a ele o que estava acontecendo.

Ben tirou Erik da festa e nos levou para seu apartamento fora do campus. Ele é colega de quarto de Ross e de um outro cara, Stevie. Ficamos sentados lá por horas até que Erik ficou sóbrio e entendeu o que estava acontecendo.

Ben ficou comigo enquanto Erik foi ao trabalho da nossa mãe e perguntou por aí. Descobriu que a mamãe tinha perdido o emprego dois meses antes.

Sua amiga Cindy disse que não via a mãe há semanas e a última vez que soube dela foi que estava se metendo em problemas com um cara que chamavam de homem do gás.

Duas semanas se passaram sem nenhuma notícia.

Verificamos hospitais e prisões, perguntamos por aí. A polícia não pareceu interessada e nos dispensou. Como era feriado de Natal, eu não tinha aula e não podia ir para casa sem energia e aquecimento.

Ben me manteve em seu apartamento. Erik saiu, procurando pela mamãe todos os dias e continuou voltando sem nada. Portanto, quando a polícia foi até o apartamento de Ben para notificar os parentes mais próximos, foi quase um alívio.

Fui eu quem atendeu a porta, Ben tinha saído para comprar o jantar, Erik estava procurando por ela. Stevie e Ross estavam trabalhando.

Era hora do pôr do sol, o frio no ar parecia inverno e eu estava assistindo a reprises de Drake e Josh em algum site ilegal que Stevie tinha arranjado para nós. Me lembro como se não fosse há dois anos.

Me lembro dos oficiais que vieram. Detetive Fordmen e oficial Harris.

Eles perguntaram se eu estava sozinha, se meu irmão poderia voltar. Eu disse a eles que ele tinha saído e estava a caminho, mas se fosse sobre minha mãe, eles poderiam simplesmente me dizer.

Eu podia sentir as más notícias em seus olhares. Eu sabia que tudo o que eles tinham a dizer não era nada bom.

Quando o detetive Fordmen disse que havia encontrado uma mulher que correspondia à descrição de minha mãe e precisava que seu corpo fosse identificado, eu apenas disse que estava tudo bem e que meu irmão e eu iríamos ao necrotério.

Eu os levei para fora, e fiquei sozinha com a notícia para aproveitar o gosto amargo da verdade. Ben voltou com os braços cheios de sacolas de compra. Ele olhou para mim e sabia que algo estava acontecendo.

Mari é por conta de mar-ee. Que é uma abreviatura para Marcella.

“Mari? E aí?” Largando as sacolas na bancada, ele chega ao meu lado com um só passo. Seus braços fortes e musculosos ficaram tensos ao seu lado. Suas mãos se abriram e fecharam repetidamente. Seus olhos azuis claros me fizeram sentir calor, como se estivesse sob um céu de verão.

“Minha mãe está morta, e Erik e eu temos que identificar o corpo dela. A polícia acabou de sair daqui. ” Eu disse isso sem sentimento, a mão da morte tinha caído sobre mim e me deixou em um estado dormente. O rosto de Ben ficou sem expressão por um segundo antes que ele recuperasse sua postura de ferro. Eu vi sua mandíbula estalar, eu vi seus pensamentos embaçando seus olhos. Ben sempre foi enorme. Quando eu era criança, poderia jurar que ele era um urso. O cabelo castanho escuro me fazia pensar em um urso marrom. Ele sempre foi muito mais alto do que todos nós, e agora ele estava treinando há tanto tempo que é enorme por diferentes razões.

“Talvez eles encontraram a pessoa errada e ela ainda está por aí. Talvez ela não esteja morta. ” Sua voz era a mais suave que já ouvi. Ben sempre foi como uma parede de pedra, é o melhor amigo de Erik e tem a mesma idade, mas sempre me senti próxima dele também.

Eu balancei minha cabeça afirmando que não, eu soube no momento em que os policiais bateram. Minha mãe estava realmente morta. Eu sabia disso em meu coração.

Quando Ben deslizou sua mão na minha e entrelaçou nossos dedos, pude sentir a parede ceder e a tristeza me inundar. Antes que a primeira lágrima saísse dos meus olhos, Ben me segurou em seus braços.

Me segurando com força em seu peito enquanto eu soluçava de tanto chorar e deixava úmida sua camisa. Eu não conseguia respirar. Eu chorei tanto, ninguém nunca me segurou daquele jeito, como se ele precisasse de mim tanto quanto eu precisava dele neste momento.

Eu chorei até meu coração ficar sem lágrimas e eu simplesmente me sentir vazia. Ben nunca me largou, ele nunca me disse para parar ou me acalmar. Ele apenas me segurou e acariciou meu cabelo.

Quando Erik voltou, Ben contou enquanto eu lavava meu rosto. Meu irmão e eu fomos até o necrotério e olhamos o cadáver da mamãe. Os próximos dias foram nada além de um borrão.

A única coisa de que realmente me lembro é do Ben.

A maneira como ele cuidou de mim e se certificou de que eu estava bem. Para um urso pardo, ele nunca saiu do meu lado.

Quando pedi a Erik que deixasse o estado ficar com a minha guarda para que ele pudesse continuar com sua vida, todos se viraram contra mim. Ben, Erik, Ross e Stevie me deram uma bronca só por ter pensado nisso.

Eu ainda mantenho essa escolha.

Teria sido mais fácil para ele.

***

“Sr. Keats, você gostaria de começar aqui mesmo? ” Eu perguntei enquanto ele limpava a papelada empilhada e seu sofá de couro vermelho escuro.

Ele não disse nada, parecia nem perceber minha presença. Eu fiquei atrás dele, esperando em silêncio o início de nossa aula de reforço.

Assim que ele terminou o que estava fazendo fez um sinal para eu largar minha bolsa aqui e segui-lo para fora da sala.

Aqui vamos nós.

 

Leia o livro completo no app do Galatea!

2

MARI

“Srta. Sinclair, tenho certeza de que conhece a frase espada de dois gumes?” Ele perguntou enquanto nos levava para dentro de sua grande casa. As paredes com tábuas de madeira davam um toque natural, mas na verdade eram falsas. A iluminação estava muito escura e meus olhos ainda não tinham se ajustado.

“Sim, senhor, conheço.” Eu respondi atrás dele. Seu corredor era longo e estreito. Eu não podia ficar ao lado dele, tinha que andar atrás. Ele não disse mais nada enquanto entramos em uma pequena sala escondida atrás de uma escada. O Sr. Keats me deixou entrar primeiro enquanto ele esperava na porta.

Esta sala, como o corredor, era vazia e escura. O Sr. Keats foi até uma grande mesa de madeira no meio da sala e se sentou como um rei em seu trono.

Ele parecia um macho alfa ameaçador em seu habitat. Seus olhos frios pareciam capazes de me encolher com apenas um olhar.

“A vida é como uma espada de dois gumes, Srta. Sinclair, tudo o que acontece tem uma consequência.” Suas palavras pareciam lançar um feitiço sobre mim, me sentia trancada aqui. Como se estivesse sendo interrogada e condenada ao mesmo tempo. Eu acenei com a cabeça para mostrar a ele que estava ouvindo. Um longo silêncio caiu sobre nós até que o Sr. Keats pigarreou e me disse para sentar ao lado de sua mesa, em vez de na frente dela.

Fiz o que ele me disse e não tive nem um segundo pensamento que fosse antes de correr para o lado dele. Sentei em linha reta e cruzei as pernas na altura dos tornozelos, me concentrando na minha postura.

Me lembro muito bem de que o Sr. Keats odeia desleixados. Ele me chamou a atenção no meio da aula antes. Eu tentei me lembrar o melhor que pude para estar ciente disso agora, quando estou perto dele.

“Você está reprovando na minha matéria, eu tenho lhe dado oportunidade atrás de oportunidade para trazer essa nota horrível para cima, mas você desperdiçou todas essas chances. Hoje, como um homem generoso e atencioso que sou, deixei cair uma última chance em seu colo. Sua mãe faleceu, nenhum pai por perto e seu tutor não pode pagar um professor particular, correto? “

O Sr. Keats me acertou em cheio, tenho tentado melhorar em sua aula. Não é como se eu não estivesse entendendo o conteúdo, mas é como se toda vez que eu enviasse meu trabalho eu de alguma forma tivesse bagunçado tudo. Meus colegas e eu nunca fomos próximos, mas li o trabalho de Warren, o garoto que se senta ao meu lado e eu achava que o meu era muito melhor que o dele, mas ele ainda tirou uma nota muito mais alta.

“Sim, senhor, isso é verdade.” Eu respondi baixinho.

“Como você mesmo disse, você precisa ser aprovada na minha classe ou não se formará a tempo. Você está disposta a fazer tudo o que puder? “

Eu senti um nó na garganta com sua pergunta.

“S-sim senhor, estou.” Parecia uma criança culpada que foi pega assaltando o pote de biscoitos. Minha resposta fez com que os lábios do Sr. Keats se curvassem em um sorriso malicioso que ele substituiu rapidamente por sua carranca dura de sempre. “Essa é uma excelente notícia, Srta. Sinclair. Fico feliz em saber sobre sua dedicação à sua educação.” O Sr. Keats me deu esses elogios, mas em vez de gostar de receber, sinto que talvez não devesse ter vindo aqui.

Digo a mim mesma que não tenho outras opções, então não poderia ter recusado sua oferta. “Minha … situação é única, Srta. Sinclair, você entende que cada pessoa tem seu próprio gosto e preferência. Acontece que o meu é bastante específico. Eu gostaria de oferecer a você um acordo único. Se você disser não, vou desistir de você. Você não terá outra chance. Você me entende?” Sua voz soou tão definitiva como se eu precisasse fazer tudo, não importa o que aconteça, e é a verdade. Eu tenho que passar.

“S-sim senhor.” Eu respondi, podia sentir meu corpo encolhendo. O Sr. Keats virou sua cadeira giratória para mim, com as mãos fechadas na frente dele. “Eu não tenho certeza se você realmente se importa o suficiente, Srta. Sinclair. Me convença.” Ele encarou o vazio, seus olhos não têm mais nenhum tom castanho, eles parecem pedaços de vidro preto em vez de olhos.

“Sr. Keats, farei o que você precisar, tenho que passar. Eu sei que você foi gentil e me deu uma segunda chance e eu as estraguei. Mas meu irmão está contando comigo e não posso me atrasar por mais um ano. Ele já desistiu de muita coisa. Qualquer que seja o trabalho eu vou me certificar de que seja feito do seu agrado, senhor. Eu juro que estou absolutamente 100% dedicada a esta disciplina, à minha educação, Senhor. ” Eu escorreguei para a borda da minha cadeira e me inclinei até a ponta dos pés enquanto implorava a ele.

O Sr. Keats acenou com a cabeça ligeiramente, o suficiente para eu notar. Ele deixou sua língua rosada lamber seu lábio inferior enquanto me examinava com um olhar observador. Desviei o olhar, me sentindo como um inseto que está prestes a ser esmagado com o peso de seu sapato. O Sr. Keats pigarreou mais uma vez e se inclinou para a minha cadeira. “Senhorita Sinclair, eu não vou aceitar qualquer forma de réplica, desobediência ou falha em fazer exatamente o que você disse. Eu fui claro? “

“Sim senhor.” Eu sussurrei, sentindo que algo ruim iria acontecer. “Fique de pé.” Ele comandou com apenas duas palavras. Eu pulei de pé, ficando rígida e reta. “Tire os sapatos.” Sua voz ficou mais profunda, como as luzes piscando sem nenhum aviso, deixando o vidro quebrar e se espalhando por toda a sala em seus cacos perigosos. “Olhe para mim. Não olhe para mais nada nesta sala.” Ele rosnou, um som assustador que mandou um balde de água gelada direto na minha corrente sanguínea. Não sabia o que ele tinha pensado para mim e não queria falhar, fiz exatamente o que me mandou.

Tirando meu tênis preto, mantenho meus olhos fixados em suas órbitas pretas como um buraco negro no espaço sideral. “Solte o cabelo.” Ele encontrava meu olhar com cada palavra. Eu me sinto mal, mas vou em frente e sigo o que ele disse.

Puxando meu longo cabelo castanho do meu rabo de cavalo e deixando cair sobre meus ombros e costas, eu coloco o laço de cabelo no meu pulso para não perder.

O Sr. Keats se inclinou para trás em sua cadeira, deixando suas longas pernas esticadas enquanto ele se atrapalha com o cordão da calça.

Segurando o gemido que enchia minha garganta até a borda, eu apenas olhava em seus olhos. Órbitas negras sem alma que estão me observando como um falcão.

“Tire sua camisa.” Um único comando fez meu coração cair até meus pés. Ninguém nunca me viu sem roupa antes. Eu nunca namorei ou me viram enquanto estava me trocando. Acabei de fazer dezoito anos, mas ainda assim, a maioria das meninas já teve pelo menos um namorado até agora. Deram um primeiro beijo e aqui estou eu, me despindo na frente do meu professor, para que eu possa ter certeza de passar em sua disciplina antes de ter a experiência de qualquer coisa disso.

Eu sabia que não tinha escolha, não uma de verdade. Então fiz o que me foi dito.

Pegando a barra da minha camiseta rosa lisa e a puxando sobre minha pele nua, expondo meu umbigo , então meu estômago, minha caixa torácica e finalmente meu peito.

Meus braços escorregaram enquanto colocava minha cabeça para dentro, em seguida, coloquei minha camisa na cadeira atrás de mim. Meu sutiã branco à vista enquanto meus seios saltavam para fora.

Eu sabia que precisava de roupas novas há um tempo, mas não podia pedir. Erik não deveria ter que pagar por essas coisas.

O Sr. Keats puxou o ar em uma respiração curta e afiada ao me ver, deslizando sua calça de moletom até os joelhos e enfiou a mão em sua boxer xadrez. Eu mantive minha compostura, olhando nos seus olhos e não ousando olhar para qualquer outra parte de seu corpo. “Abra seu sutiã e me dê.”

Ele soava como se estivesse com dor, posso ouvir o rangido da cadeira com o tremor que ele estava fazendo. Alcançando atrás de mim, eu levantei meus dedos para o algodão macio e manobrei a trava, assim que soltei o fecho que minhas alças caíram e meu peito empurrou o sutiã para frente. Os olhos do Sr. Keats captavam cada movimento meu, como se ele estivesse comendo cada centímetro da minha carne nua. Seus olhos estavam famintos e prontos para me devorar.

Deixando meus braços deslizarem para fora das alças, eu puxei meu sutiã no meio. Meus seios caíram ligeiramente e meus mamilos endurecem com a mudança de temperatura.

Eu me inclinei para frente, deixando o Sr. Keats pegar meu sutiã das minhas mãos e o vejo levá-lo ao nariz. Ele inalou profundamente, como se meu sutiã cheirasse a biscoitos recém-assados. Eu queria me cobrir.

Queria cruzar os braços em volta de mim e bloquear sua visão, mas estava com muito medo.

“Tire as calças também.” Sua voz estremeceu junto com ele, seu corpo inteiro tremeu. Nunca vi isso, mas sabia o que ele estava fazendo. Parecia que ele estava se atacando. Eu não sabia que tinha que ser feito de forma tão inconveniente.

Eu o obedeci, abrindo o botão da minha calça jeans e puxando o zíper para baixo. Segurei meu olhar no seu, sendo sugada para o buraco negro. Deixei meu jeans cair até meus tornozelos e balancei para fora, eu o chutei atrás de mim.

Minhas coxas grossas parecem ter sido as vencedoras de seu interesse. O Sr. Keats mordia o lábio inferior enquanto se masturbava por mim.

De pé diante dele sem nada além da minha calcinha de bolinhas verde e azul, ele parecia me comer com os olhos.

“Tire.” Ele rosnou, seu rosto estava tenso e com aparência de raiva. Me permitindo respirar profundamente, eu prende o ar enquanto colocava meus polegares e deixava minha calcinha deslizar até os meus pés. Fazendo a mesma coisa de antes, chutei ela atrás de mim. Parada completamente nua, o Sr. Keats deu outro gemido enquanto olhava minha jóia nua. Lambendo seu lábio inferior, seus olhos rastejam por cima de mim. Seu olhar parecia pegajoso e viscoso como a atenção indesejada que era.

“Coloque uma perna na mesa.” Ele disse, se puxando com uma velocidade que parecia dolorosa. Eu levantei minha perna, deixando a parte de baixo do meu pé segurar o lugar no canto de sua mesa de trabalho. Meu espaço pessoal estava sentindo a corrente de ar na sala enquanto eu permitia que ele olhasse para minha área mais privada. Quando eu fiz isso, no segundo que seus olhos pousaram na minha região íntima, pude ver seu corpo pular e se contorcer. Ele estremeceu violentamente e soltou um gemido feio que fez um sabor horrível deslizar sobre minhas papilas gustativas.

Ele se sacudiu mais algumas vezes antes de suspirar de alívio, tirando a mão da cueca e deitando a cabeça cair para trás. Não sei mais o que fazer, então fico parada. Meu corpo nu em exibição para ele, minha perna levantada no alto de sua mesa. Eu esperei por instruções. Sua mão permaneceu aberta enquanto ele pegava dois lenços de papel e se limpava. Quando ele jogou o lenço usado na lata de lixo, ele examinou meu corpo mais uma vez.

“Você vai passar na minha matéria, diga uma palavra sobre isso para qualquer um e eu vou destruir sua reputação. Vista-se e saia. ” Ele exigiu friamente. Descendo minha perna, me apressei para me cobrir.

Colocando minhas roupas rapidamente, eu nem me preocupei com meu sutiã, coloquei meus pés em meus tênis e corri para fora da sala e por todo o corredor.

Quando chego à sua sala principal, peguei minha bolsa e o livro antes de sair correndo de sua casa completamente.

Eu queria ficar longe dele e do que acabei de fazer. Eu nem pensei no ponto de ônibus ou que horas são. Eu apenas corri.

Corri pelos quarteirões e cruzamentos, os prédios e as pessoas não significavam nada para mim.

Meu cabelo fluia atrás de mim, minha bolsa atingia a parte inferior dos meus ombros a cada passo, meus braços cobriam meu peito para que ninguém soubesse que estou sem sutiã.

Eu corri no meio de multidões e esqueci por que ainda estou correndo depois de tanto tempo. Quando finalmente parei, meus joelhos se dobraram e bateram no asfalto duro e implacável.

Recuperando o fôlego, quase dei risada quando li a placa.

“O coelho de seda” acendeu em um néon rosa e roxo com um coelho de néon branco pulando ao redor do letreiro. Eu tinha corrido para um clube de strip na parte ruim da cidade. Recuperando meu controle e deixando minha respiração desacelerar, ouvi os passos de alguém passando por mim. “Ei, querida, você está bem?” Uma espécie de voz de Fran drescher me fez levantar minha cabeça para ver uma peruca vermelha sangue em cima de um rosto limpo cheio de maquiagem e um casaco de pele aninhado em seu corpo minúsculo. Eu rapidamente cai sobre os cotovelos.

“Oh, querida, deixe-me ajudá-la.” Suas mãos pequenas me agarraram pela cintura e me colocaram de pé. Seus olhos castanhos percorreram meu rosto, olhando para mim em busca de qualquer sinal de lesão. “Ei, você está sentindo alguma coisa?” Ela estalou o chiclete e o colocou de volta na boca. “Nnn-não, senhora, eu estava apenas correndo. Estou bem. Obrigada.” Eu me afastei dela e de seu perfume de flores de cerejeira.

“Querida, ninguém corre assim sem motivo. Você não me deve nada. Mas eu gostaria de poder te ajudar. Nós, meninas, temos que ficar juntas. Poder feminino e toda essa merda. Me deixe te dar uma carona para casa. Aqui, meu carro está bem ali. ” Ela me estendeu uma banana e apontou para um Chevy marrom enferrujado de quatro portas. Pegando a banana dá sua mão, a segui sem pensar e entrei no carro. Enquanto prendia o cinto de segurança e disse a ela o nome da minha rua. No momento em que começou a dirigir, ela se apresentou como Brittany Hicks.

“Querida, eu sei que você está bem. Você já disse isso. Mas se você precisar falar sobre, eu poderia te escutar. Eu não te conheço, você não me conhece. Não é como se eu pudesse contar a alguém, mesmo se quisesse, o que não é verdade.” Paramos na faixa de pedestres e pude sentir o peso sufocante do que fiz. Essa culpa parecia uma corrente em volta do meu pescoço e eu não sabia como tirá-la.

Eu não sei se foi porque eu senti que Brittany estava genuinamente tentando me ajudar ou talvez eu seja apenas ingênua e crédula, mas eu contei tudo a ela. Da minha mãe morrendo e Erik cuidando de mim. Digo a ela o quanto ele trabalha e como não posso reprovar no ensino médio.

Quanto eu honestamente me esforcei em meus trabalhos acadêmicos e como o Sr. Keats é horrível. Eu conto tudo a ela. Cada detalhe sobre o que aconteceu e tudo que eu tive que fazer para conseguir uma nota para passar e como estou me sentindo culpada.

Brittany estava dizendo a verdade quando disse que ouviria porque ela o fez. Quando paramos na frente da minha casa, ela me deu um abraço. Ela deu um tapinha nas minhas costas como uma mãe faria com uma filha e me deu um sorriso forte e reconfortante.

“Ok, primeiro, não foi sua culpa. Você é uma jovem inocente e ele é um homem adulto que se aproveitou de você. Isso é culpa dele, não sua. Você é muito forte por carregar tudo isso com você todos os dias. ” Ela afrouxou o abraço e me deu espaço para respirar.

“E, eu sei que isso vai parecer loucura, mas … quando algo assim aconteceu comigo eu ansiava por controle. Fiz isso sendo dona do meu corpo, é um pouco exagerado e talvez não seja para você, mas ganhei o controle, aumentei minha autoestima e ganhei muito dinheiro como stripper no coelho.

“Você é uma stripper? Uau.” Eu disse espantada. Já ouvi falar desse tipo de trabalho, mas nunca conheci ninguém que realmente o fizesse. Ela sorriu de novo e me examinou. “Talvez você pudesse pensar sobre isso? Eu poderia te ensinar como trabalhar no mastro e alguns passos de dança. Eu acho que você vai gostar. Especialmente depois de ganhar um bom dinheiro. “

Ela parecia tão certa, tão positiva. Não quero dizer a ela que não tenho como fazer isso. Não posso ter um emprego normal, muito menos esse, porque ser uma stripper faria meu irmão me matar. Ele colocaria meu coração em uma placa.

Agradeço a ela e digo que vou pensar sobre isso. Agradeço dez vezes a carona para casa e digo adeus. Quando entrei e aqueci o jantar, comi e tomei banho.

Deixei um recado para Erik dizendo a ele que o amo e que senti sua falta hoje. Agradeci a ele por trabalhar tanto e digo o quanto estou orgulhosa.

Quando caí na cama, ri pensando que tipo de stripper eu seria. Estou mais do que grata por finalmente adormecer.

 

Leia o livro completo no app do Galatea!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O Guardião Possessivo

Quando a colega de quarto de Kara diz que seu primo vai dormir no sofá por algumas noites, Kara não se importa muito. Até que ele aparece, e eles incendeiam os mundos um do outro.

Prometida ao Rei Lobisomem

~ Foi assim que o mundo acabou. ~

~ O rei dos lobos, o monstro mítico, o homem majestoso que eu aprendi a amar e desejar com todas as minhas forças estava lá.. sangrando ao lado de seu trono. Morrendo. ~

~ Ao lado dele estava um demônio sorridente… o Lorde Demônio. Ele apontou para mim com um dedo longo, preto e fino. ~

~ “Você é minha agora”,

Os Guerreiros de Torian

A terra está sob o ataque de uma raça de alienígenas monstruosos que têm um único objetivo: A total destruição da humanidade. Lilly e sua irmã mais nova acabam no meio da confusão e estão condenadas à morte certa… Até que o encantador guerreiro Rei Bor chega de outro planeta e as salva. Sua missão é proteger todos os humanos, mas agora ele só tem olhos para Lilly. Será que o dever vai falar mais alto, ou ele vai sacrificar tudo por ela?

Classficação etária: 18+

Meu Caubói

O pai ausente de Cora lhe deixa uma grande herança, mas há um problema! Ela tem que cuidar do rancho dele no meio do nada por um ano inteiro. Uma garota da cidade em uma cidade pequena, ela não poderia se sentir mais deslocada. Mas quando ela conhece Hael, o cowboy sexy que trabalha em seu rancho, a vida no campo fica muito mais emocionante…

A Serva do Dragão

Viaje no tempo com esta reinterpretação medieval da fumegante ~Cidade Réquiem~! Madeline serviu aos poderosos metamorfos Dragões da Horda de Réquiem desde que era jovem. Em seu aniversário de dezoito anos, Hael, o próprio Senhor do Dragão, fixa seus olhos verde-esmeralda em Madeline. Ele tem planos ~maiores~ para ela. Madeline será a escrava sexual subserviente que Hael exige? Ou esse dominador ultra sexy encontrou seu par?

Laços Leais

Zoey Curtis está desesperada para sair de seu emprego atual e se afastar de seu chefe idiota! Mas quando ela recebe uma oferta de trabalho como assistente do playboy bilionário Julian Hawksley, ela não está preparada para os desejos ardentes que ele desperta dentro dela…

A Chama nos Une

Em seu aniversário de dezoito anos, Lydia descobre que está destinada a se casar com o rei Gabriel de Imarnia, e sua vida inteira vira de cabeça para baixo. Usando seus raros poderes de fogo e anos de treinamento, Lydia tenta resistir ao destino a todo momento.

Mas o rei Gabriel tem outros planos…

Classificação etária: 18 +

Autor Original: Suri Sabri

Nas Garras da Paixão

Não existe ninguém no mundo que não ame Scarlet. Ela é jovem, linda, e tem a alma de um anjo… Então é um choque quando o seu amante prometido se revela o impetuoso e cruel Alfa-Rei.

Temido por todos – e com razão- ele retornou depois de sete anos para retomar o que é seu. Será que Scarlet poderá faze-lo abaixar a guarda, ou vai acabar implorando por piedade?

Classificação etária: 18+

No Fim do Mundo

Savannah Madis era uma aspirante a cantora feliz e alegre até que sua família morreu em um acidente de carro. Agora, ela está em uma nova cidade e uma nova escola, e se isso não fosse ruim o suficiente, ela cruza com Damon Hanley, o encrenqueiro da escola. Damon fica totalmente confuso com ela: quem é essa garota metida a esperta que o surpreende a cada encontro? Ele não consegue tirá-la da cabeça e – por mais que ela odeie admitir – Savannah sente o mesmo! Eles fazem um ao outro se sentirem vivos. Mas isso é o bastante?

A Princesa e o Dragão

“Eu pulei da minha cama. Coloquei meu casaco de pele de carneiro. Era verão, mas as manhãs ainda eram frias.

Peguei a mochila de aventura que papai me deu no meu último aniversário, quando fiz sete anos. Ele a encheu de coisas úteis que eu precisaria para caçar salamandras, construir fortes e caçar Dragões.”