logo
GALATEA
(30.7K)
FREE – on the App Store

O Alfa do Milênio

Eve é mais poderosa do que a maioria – porém, quando recebe uma missão com um prêmio que ela não pode recusar, Eve começa a se perguntar se é forte o suficiente para concluí-la. Com vampiros, lobisomens desonestos e divindades malignas atrás dela, a determinação de Eve é posta em questão – e isso acontece antes dela encontrar seu companheiro…

Do universo de Os Lobos do Milênio

 

O Alfa do Milênio por Sapir Englard está agora disponível para leitura no aplicativo Galatea! Leia os dois primeiros capítulos abaixo, ou faça o download do Galatea para obter a experiência completa.

 


 

O aplicativo recebeu reconhecimento da BBC, Forbes e The Guardian por ser o aplicativo mais quente para novos romances explosivos.

Ali Albazaz, Founder and CEO of Inkitt, on BBC The Five-Month-Old Storytelling App Galatea Is Already A Multimillion-Dollar Business Paulo Coelho tells readers: buy my book after you've read it – if you liked it

Leia o livro completo no app do Galatea!

1

Resumo

Eve é mais poderosa do que a maioria – porém, quando recebe uma missão com um prêmio que ela não pode recusar, Eve começa a se perguntar se é forte o suficiente para concluí-la. Com vampiros, lobisomens desonestos e divindades malignas atrás dela, a determinação de Eve é posta em questão – e isso acontece antes dela encontrar seu companheiro…

Do universo de Os Lobos do Milênio

Classificação etária: 18 +

Autor Original: Sapir Englard

28 de outubro de 2017

Nova York

Eve

Eu o vi antes que ele me visse.

Ele estava a alguns metros de distância, mas eu soube imediatamente que era ele. Eu podia senti-lo.

Meus olhos viajaram sobre sua pele dourada, sobre seus bíceps definidos, seu abdômen tenso e de volta até sua mandíbula forte.

Talvez tenha sido ousado da minha parte aceitá-lo tão descaradamente. Eu não queria que ele me pegasse.

Ele não poderia me pegar. Isso iria estragar tudo.

Mas, eu estava escondida nas árvores, os galhos e folhas servindo como minha camuflagem.

Eu sabia que não tinha nada com que me preocupar. Então, continuei assistindo.

Observei enquanto ele corria os dedos ao longo da casca de uma velha árvore.

Ele olhou em volta, como se estivesse tentando encontrar algo. Ou alguém?

Mas não, ele não poderia saber que eu estava aqui.

Eu era poderosa o suficiente, cheia de magia suficiente para ser capaz de me esconder bem.

Ele caminhou até uma árvore diferente e, desta vez, estendeu as duas mãos, segurando a árvore.

Ele deslizou ambas as mãos para baixo, e eu observei seus braços rasgados esticarem contra o tecido fino de sua camiseta.

Como eu queria que aqueles dedos estivessem me seguindo, me segurando…

Eu não sabia o que ele tinha.

Ele era o único homem, a única criatura viva, que poderia me excitar. E, não, não quero dizer me excitar tanto . Eu quis dizer me excitar fisicamente. Mesmo.

Meus olhos estavam grudados nele – seus músculos, sua mandíbula, seu cabelo escuro e selvagem.

Eu podia sentir meu corpo reagindo. Eu estava formigando em lugares que nunca formigava, eu tinha vontade de diminuir a distância entre nós.

Eu queria tanto que podia sentir ele me tocando. Eu podia sentir ele me dando a satisfação pela qual eu estava esperando há tanto tempo.

Eu dei um passo para fora do meu esconderijo. Pode ter sido uma má ideia, mas não me importei.

Isso era o que eu queria… não . Era disso que eu precisava.

Eu dei mais um passo.

Eu queria que ele me encontrasse quase tanto quanto eu estava com medo de que ele pudesse. Porque eu sabia o que iria acontecer. Mas agora, eu não me importava.

Outro passo.

Ele virou a cabeça.

Outro passo.

E, então, suspirei.

Porque uma adaga passou voando por meu ombro, jogada de algum lugar atrás de mim.

Ele se moveu pelo ar em alta velocidade e, um momento depois, o atingiu. O empalou. Direto em seu coração.

O sangue encharcou sua camiseta.

Eu estava paralisada, chocada. Minha boca abriu e fechou, mas não saiu nada.

Eu me virei para ver atrás de mim. Tentei descobrir de onde veio a adaga, quem era o responsável. Mas, não consegui ver mais ninguém.

Éramos apenas eu, ele e a floresta.

Meus olhos voltaram para ele. Ele estava afundando no chão, as mãos cobrindo a ferida, tentando segurar o sangue.

Ele deve ter sentido meu olhar sobre ele desta vez, porque seus olhos brilharam.

Ele estava olhando diretamente para mim.

Eu não pude correr. Eu não pude me esconder. Ele me viu.

E eu sabia. Eu sabia que ele pensava que fui eu quem atirou a adaga.

Fiquei triste com isso, dominada pelo remorso, embora fosse inocente.

Mas, no fundo, eu sabia que não era inocente. Não mesmo.

Ele estava de joelhos agora, tentando manter os olhos abertos. Tentando mantê-los presos a mim. E meu coração ainda estava acelerado. Afinal, ele era o único homem por quem poderia correr.

Vá até ele, Eve.

Ajude-o.

Toque nele.

Mas eu fiquei congelada, exatamente onde estava.

Observei enquanto a vida se esvaiu dele, enquanto seus olhos se fechavam lentamente, enquanto seus dedos paravam de tremer. Eu tive que assistir. Eu não me permitiria desviar o olhar.

Quando ele deu seu último suspiro e ficou imóvel, uma nova calma tomou conta de mim. Soltei a respiração que estava prendendo.

Finalmente acabou.

***

Beep. Bip. Bip. Beep.

Meus olhos se abriram. O que é que foi isso?

Beep. Bip. Bip. Beep.

Um maldito celular estava tocando. Meu maldito celular.

Eu olhei em volta. Eu estava na cama, uma cama branca. Tudo estava branco.

Certo. Eu estava hospedada em um hotel na cidade de Nova York. Encontrei o celular debaixo do travesseiro ao meu lado, tentando ignorar o sonho que acabei de ter.

Eu não tinha tempo para decifrar sonhos agora. Além disso, não era preciso ser um gênio para descobrir do que se tratava.

Aqueles músculos… aquele cabelo… não foi a primeira vez que sonhei com ele. E não seria a última.

Principalmente daqui para frente. À medida que nos aproximamos de…

Bip.

Uma mensagem.

Eu olhei para o celular. Duas chamadas perdidas de Killian. E um— Bipe —e duas mensagens de texto.

Eu não tinha notícias dele há algumas semanas, então ele deve ter encontrado algo importante. Ele estava espionando para mim, fazendo pesquisas e reconhecimento.

Eu li a mensagem.

Killian
Encontrei o que você me pediu.
Killian
Estou de volta a Londres.
Eve
Posso estar aí amanhã à noite.
Eve
18h. Nosso lugar.
Killian
vejo você em breve.

29 de outubro de 2017

Londres

Caminhei pela calçada, minhas botas de combate batendo no chão com estrondo.

Não estava exatamente chovendo, mas havia uma Haze no ar. Me fez sentir úmida, como uma esponja na borda de uma pia.

Era seguro dizer que eu não sentia falta de Londres.

Mas isso não era totalmente verdade.

Eu passei muitos anos bons aqui, com Killian, quando ele estava crescendo. Contornei a velha igreja e me vi em um estacionamento vazio, escondido em algum bairro suburbano.

Killian e eu nunca íamos à igreja, mas costumávamos vir aqui para assistir ao pôr do sol às vezes. Mas isso foi há muito tempo.

Eu ouvi o barulho de uma motocicleta atrás de mim e sorri, checando meu relógio.

Eram 17:59. Ele chegou bem na hora.

A motocicleta acelerou no estacionamento e parou bem na minha frente, freando com tanta força que o vapor flutuou no ar.

Eu assisti enquanto Killian pulava da moto e a estabilizava, tirando seu capacete preto.

Imediatamente, seus longos cachos dourados foram libertos, e ele passou a mão enluvada por eles.

Seus olhos dourados não tinham nada além de travessura dentro deles, e eles brilharam para mim, seu rosto incapaz de esconder o sorriso puxando seus lábios.

“O quê? Você está tentando me impressionar?” Eu perguntei a ele, acenando para a motocicleta.

“Estou fazendo um ótimo trabalho. Admita”, ele respondeu.

Ele abriu uma bolsa de couro e tirou um arquivo, entregando-o para mim.

Eu peguei “Se tudo estiver aqui… “

“Tudo e mais. Toda a linhagem,” ele me assegurou.

Eu não pude deixar de me sentir orgulhosa. Olhando para suas bochechas com covinhas, agora cobertas pela nuca, era como se ele fosse um homem. Um homem talentoso e muito útil.

“Então, é verdade?” ele perguntou, apontando para a pasta. “Você acha que os Morgan estão com problemas?”

“Você não vai arrancar de mim uma história de tabloide, Kil.”

“Vamos,” ele pressionou.

“Olha, todo mundo sabe sobre os Morgan. Eles são os humanos mais respeitados na América, e por causa do acordo que fizeram com a Matilha da Costa Oeste todos aqueles anos atrás, eles estão vivendo em território da Matilha, são intocáveis.

“Elena Morgan era como a rainha. Sua fortuna era a razão pela qual a Matilha da Costa Oeste poderia funcionar tão bem, por tanto tempo. Ela era sua maior patrocinadora. Mas, ela deixou a fortuna para as filhas. Seu companheiro, ele não tem direito legal sobre isso.”

“Então?”

“Então, legalmente, suas filhas são muito jovens para reivindicá-lo. A mais velha tem dezessete anos.”

Killian me olhou. “Você acha que a família está em perigo porque alguém vai atrás da fortuna?” Ele balançou sua cabeça. “Todo mundo conhece os Morgan, Eve. Eles são como a realeza. Ninguém tentaria ferir a realeza.”

“O quê? Eles não ensinam história mundial na Academia?” Eu perguntei, com um sorriso em meu rosto.

Ele revirou os olhos. “A fortuna só pode ser reivindicada pelas filhas de Elena quando elas completarem dezoito anos.”

“Então, qual o seu objetivo? Proteger as filhas até que tenham idade suficiente para reivindicar a fortuna?”

Dei de ombros. “Alguém tem que fazer. Porque se alguém os exterminar antes disso, a fortuna estará à sua disposição. Isso é um grande incentivo.”

Eu me virei para ir, mas Killian agarrou meu ombro. “Você sabe outra coisa. Sobre as pessoas tentando machucá-los.”

Eu o afastei. “Não se preocupe com isso, Kil…”

“Não posso ajudá-la, a menos que saiba de coisas”, disse ele, cruzando os braços.

“Certo. Sobre o que você quer ouvir? A máfia? A máfia sabe sobre a fortuna e está planejando seu próximo movimento. Depois, há os lobisomens desonestos. Eles estão sempre procurando um aumento na receita. E não vamos esquecer os vampiros.”

Eu vi o rosto de Killian cair. Ele sempre teve uma quedinha pelos vulneráveis.

Eu dei um tapinha em seu ombro. “Eles ficarão bem, Killian. Eu sou muito boa no que faço”, eu disse, jogando-lhe um sorriso malicioso. Ele assentiu.

“Entrarei em contato”, eu disse, dando meia-volta e iniciando a longa jornada de volta ao exterior. Para a Costa Oeste.

“Sem despedidas”, ele gritou para mim.

Eu sorri. “Sem despedidas”, eu gritei de volta.

“Não me deixe esperando muito tempo”, ele gritou. “Eu fico entediado.”

***

30 de outubro de 2017

Lumen

O táxi acelerou ao longo da estrada mal pavimentada na borda da floresta, e tudo que eu podia ver eram milhões e milhões de árvores de cada lado.

Quando eu estava bem fundo lá dentro, sem mais calçada à vista, disse a ele para parar.

“Aqui está bom.” Desci.

Ele pegou o dinheiro que eu entreguei e partiu na mesma direção da qual tínhamos vindo, ele claramente não queria ficar mais do que o necessário aqui.

Humanos como ele não eram exatamente bem-vindos no território da Matilha da Costa Oeste, a menos que tivessem sido liberados para residência. Ou a menos que fossem da família Morgan.

E esta floresta, a Floresta Nacional de Deschutes, no Oregon, era muito território da Matilha da Costa Oeste.

Mas, não eram apenas humanos não anunciados que não eram bem-vindos. Era qualquer espécie que não fosse lobisomem. E eu estava inclusa.

Mas, eu estava aqui por um motivo. E eu não iria deixar algo como ser pega por um guarda lobisomem, ou um Alfa, me parar.

Eu já tinha lidado com coisas muito piores antes, afinal.

Concentrei toda a minha atenção em meu corpo. A concentração intensa funcionou e eu senti minhas células se espalhando, diminuindo o preenchimento opaco da minha pele.

Eu não era exatamente invisível, mas não estava completamente visível.

Eu era como uma versão obscura de mim mesma que alguém teria que apertar os olhos para realmente ver.

Satisfeita, me virei para as árvores. Eu canalizei meu poder e o usei para me impulsionar bem alto no ar.

E, então, eu estava balançando em árvores, pulando de uma para a outra.

Depois de cerca de trinta quilômetros, comecei a desacelerar. Então, eu caí em uma árvore, usando suas folhas para me proteger, só por precaução. Porque lá, à minha frente, a cerca de um quilômetro de distância, estava Lumen.

Lumen, também conhecida como Wolf City, abrigava a Matilha da Costa Oeste, que era uma das mais fortes da América, senão do mundo.

Respirei fundo, sabendo que o último quilômetro seria o mais difícil.

Cada cidade da Matilha tinha parâmetros de segurança ao seu redor, com guardas altamente treinados vigiando.

E o problema com os guardas lobisomens era que seus narizes eram sua melhor arma.

Mesmo na forma humana, eles podiam farejar um intruso a quilômetros de distância. O que significava que se eles ainda não tinham sentido meu cheiro, mas eles estavam prestes a sentir.

Só que isso não importa.

Eu tinha um trabalho a fazer.

Eu decolei com um salto, caindo em outra árvore, e então pulei para a próxima. Eu estava balançando nos galhos, ficando mais baixo do que as copas das árvores, para que eu pudesse me misturar com as folhas mais facilmente.

Foi quando eu o vi. A cerca de 200 metros de distância.

Um guarda lobisomem.

Mas, não era qualquer guarda lobisomem. Concentrei minha visão e fui capaz de distinguir o alfinete em seu colete de segurança, indicando que ele fazia parte da própria equipe de segurança pessoal, o Alfa.

Ótimo.

Mas, antes que eu pudesse fazer qualquer outra coisa, os olhos do guarda se voltaram para onde eu estava.

Ele com certeza poderia me farejar, sentir meu olhar sobre ele. E eu não queria esperar que ele pedisse reforços.

Então, respirei fundo e pulei direto para a frente, esperando que meu corpo esmaecido me tornasse difícil de ver. Mas, não importava se eu mal estivesse visível, porque o guarda usou seu nariz para me rastrear.

Enquanto corria por entre as árvores, perto da entrada da cidade, ouvi o som do guarda mudando e soube que estava em apuros. Uma coisa era fugir de um lobisomem em forma humana. Mas fugir de um lobo?

Continuei me movendo, continuei correndo e arrisquei uma olhada por cima do ombro.

O lobo da guarda estava bem ali. Rosnando, seus dentes marcados. Não mais do que dois passos atrás de mim.

 

Leia o livro completo no app do Galatea!

2

30 de outubro de 2017

Lumen

Eve

O lobo da guarda estava bem atrás de mim.

Eu sei que sou rápida. Minha composição genética especial, misturada com a magia que ganhei ao longo dos séculos em que estive viva, me tornou uma das mais rápidas do mundo.

Mas, um lobisomem em forma de lobo era uma partida difícil. E este era especificamente mais atlético do que um lobo típico.

Eu tinha visto seu broche. Ele fazia parte da equipe de segurança pessoal do Alfa da Matilha da Costa Oeste.

Não fazia sentido.

O que o pessoal de segurança do Alfa estava fazendo vigiando o perímetro?

Os melhores guardas de segurança da Matilha eram normalmente mantidos na Casa da Matilha, não nas profundezas da floresta.

A única explicação era que a Matilha estava esperando alguém. Alguém extremamente importante ou extremamente perigoso.

E Gabriel, o Alfa da Costa Oeste, designou um de seus guardas para ficar de olho na chegada deles.

Eu ouvi um rosnado. Ele estava bem atrás de mim.

Uma garra se esticou e tocou meu ombro. Unhas afiadas cravaram em minha jaqueta de couro.

Desejei me mover mais rápido do que antes, um pé na frente do outro, até que minhas pernas estivessem se movendo tão rapidamente que pareciam um borrão do caos.

Eu olhei para cima por tempo suficiente para perceber que agora estávamos em Lumen.

Devemos ter passado correndo pelos portões da cidade sem parar. Arrisquei olhar para trás.

O segurança estava mais atrás de mim agora, claramente exausto.

Essa foi a boa notícia.

As más notícias?

Havia quatro outros lobos correndo ao lado dele agora.

Não procurei por tempo suficiente para ver se eles tinham alfinetes do pessoal do Alfa. Não importava.

Eu sabia que não poderia continuar correndo, precisava encontrar uma solução melhor.

Virei uma esquina, correndo por um beco. Os paralelepípedos estavam tornando difícil manter a velocidade, mas foi quando eu vi.

A grade do esgoto.

Sem pensar, eu o levantei e pulei para dentro, caindo pelo menos quatro metros e meio na escuridão. Eu caí com um baque em meus pés.

Eu senti o cheiro imediatamente.

Minhas botas pesavam em uma lama espessa, e agradeci minhas estrelas da sorte por ter pousado em pé.

Imaginar cair sobre minhas mãos e joelhos enviou um arrepio por mim.

Eu estava correndo bem e estava bem lutando. Mas o lodo do esgoto foi onde eu tracei a linha.

Comecei a descer o túnel em direção ao norte. Eu não ia ficar por aqui para ver se o guarda lobo descobriu para onde eu tinha ido.

Fechei os olhos enquanto caminhava, tentando me lembrar do mapa da cidade.

Levou um tempo, mas Killian tinha acertado o endereço que eu precisava.

O endereço da casa para a qual os Morgan tinham acabado de se mudar. Foi na área conhecida como Woodsmoke.

***

Uma hora depois, eu estava saindo de uma grade de esgoto em Woodsmoke.

O sol estava começando a se pôr e as ruas estavam silenciosas. Este era um bairro rico, cheio de lojas de estilistas e famílias bem-vestidas.

Ótimo. Minhas botas de combate vão servir perfeitamente.

Comecei a andar, fechando meus olhos novamente para lembrar o mapa do bairro que Killian tinha me dado.

Eu podia ver a grade da rua e sabia que precisava chegar à Rua Jayden 49. Uma linha vermelha apareceu na grade, mostrando-me a rota mais rápida até lá.

Abri os olhos novamente, saindo na direção da casa. Eu mantive meus olhos abertos pelo resto da viagem.

Eu sabia que só porque eu evitei os guardas-lobo na entrada da cidade não significava que eles desistiram de procurar por mim.

Eles sabiam que eu não era um lobisomem. Eles podiam sentir o meu cheiro.

Não que eles fossem capazes de dizer o que eu estava agindo sozinha. Ninguém poderia.

Mas, eles seriam capazes de descobrir que eu não era um deles, e isso significava que eu era uma ameaça.

Então, eu teria que ficar de olho em qualquer empresa indesejada e ficar fora das ruas o máximo possível.

Algum tempo depois, cheguei a Rua Jayden 49

Era uma casa grade, de aspecto tradicional, com pilares brancos na frente e um gramado recém-cuidado.

Eu sabia que Gabriel havia colocado a família aqui, que eles chegaram a algum tipo de acordo sobre uma nova residência.

Afinal, humanos normalmente não eram permitidos na cidade de Lumen. Mas, os Morgan não eram humanos comuns.

Antes que a Matilha da Costa Oeste tomasse conta de seu território aqui, os Morgan reinavam sobre ele.

A história de sua linhagem é repleta de poder e riqueza.

Se os Morgan não tivessem feito um acordo com a Matilha, permitindo que eles se desenvolvessem na terra e até mesmo patrocinando seu desenvolvimento, a Matilha não teria crescido para ser tão próspera.

Isso é algo que a Matilha da Costa Oeste não esqueceu.

Mesmo com a partida de Elena, eles vão cuidar dos Morgan – e quando as garotas Morgan forem maiores de idade para acessar a fortuna, a Matilha espera que elas decidam manter o patrocínio.

Subi os degraus e bati na nova porta da frente dos Morgan. Esperei alguns instantes… nada.

Eu tinha passado por muita coisa hoje para ter paciência, então bati de novo. Mais alto.

Foi quando a porta se abriu e vi uma adolescente, talvez com quinze anos, olhando para mim.

Ela era linda, isso estava claro. Com cabelo loiro claro e grandes olhos azuis, ela parecia uma boneca Barbie em tamanho real.

“Uh, alô?” ela perguntou, franzindo o nariz.

Eu estava prestes a dizer algo sobre sua reação ao ver uma mulher vestida de couro quando senti uma brisa e senti meu cheiro. E, então, lembrei que passei um bom tempo em um túnel de esgoto.

O nariz franzido não tinha nada a ver com o couro.

“Seu pai está em casa?” Eu perguntei.

“PAPAI!” ela gritou, voltando para a casa. Alguns segundos depois, Martin Morgan apareceu, caminhando pelo saguão.

“Olá? Posso ajudar?” ele perguntou, apertando os olhos para mim.

“Não, Martin. Mas, estou aqui para te ajudar. Sua família está em perigo.”

Eu poderia dizer que ele estava confuso, mas, ele apenas deu um tapinha no ombro da filha. “Vá para o seu quarto, Anya”, ele a instruiu.

“Do que ela está falando?” ela perguntou, olhando diretamente para mim.

“Vá”, disse ele, com mais firmeza desta vez. Revirando os olhos, ela obedeceu.

Eu comecei a falar. “Estou aqui para proteger sua família. Para fazer isso, vou precisar de algumas coisas de você—”

“Espere só um minuto”, ele ordenou. “Quem você disse que era?”

“Eu não disse. Eu sou Eve”, complementei, estendendo a mão para ele apertar. Ele apenas me observou.

“Você é Eve.”

“Isso mesmo.”

“Eu não conheço nenhuma Eve.”

“Nunca nos conhecemos, Martin.”

“Você não é um lobisomem”, ele disse, olhando nos meus olhos. “Gabriel deu uma ordem para que todos nos deixassem em paz. Mas você sabe quem somos. Você sabia meu nome. E você não está nos deixando em paz. Nenhum lobo desobedece ao Alfa assim.”

“Você tem razão. Eu não sou um lobisomem.”

“Então, você não deveria estar aqui. Lumen é uma cidade de lobos.”

“Estou aqui para proteger sua família”, repeti. Já havia perdido a paciência. “Posso entrar?”

“O quê? Não—” Era tarde demais.

Antes que ele pudesse piscar, dei a volta nele e fechei a porta.

Ele se virou para me encarar, espumando de raiva. “Eu não vou permitir que uma… uma mulher estranha force seu caminho para dentro da minha casa e coloque a mim e minha família em risco! E, que cheiro é esse?”

“Martin,” eu disse calmamente, ignorando a última parte, “Eu sei sobre sua família. Eu sei o que você passou. Eu entendo o porque você hesita em confiar em alguém que não conhece. Mas agora, sua família já está com problemas. Suas filhas estão sendo caçadas.”

“Eu não acredito em você! E eu quero você fora da minha casa agora…”

Pronto. Eu não tinha tempo para isso.

Eu me desliguei dele e abri minha mente, desbloqueando um canal telepático para que eu pudesse deixar seus pensamentos entrarem.

O processo foi fácil porque ele era humano, o que significava que levara apenas alguns segundos para que eu lesse sua mente.

É uma manobra. A máfia a enviou. Ela vai se infiltrar na casa, e depois, me seduzir?

Ela parece uma sedutora. Olhe o couro. Seja forte. Expulse ela, AGORA! Proteja as meninas.

Meus olhos brilharam para ele, e eu sabia que eles não pareciam amigáveis ​​pela maneira como ele reagiu.

O pobre homem estava apavorado. “Agora, Martin, vamos. Você acha que eu sou algum tipo de prostituta?”

“O quê?”

“Você realmente pensa isso de mim? Que eu deixaria a máfia me controlar?”

“Como você sabia que eu estava pensando isso?”

“A máfia é a menor de suas preocupações. Você está familiarizado com lobos desonestos? Vampiros?” Eu perguntei. “Se você quer que suas filhas vivam até que completem dezoito anos, até que tenham idade suficiente para reivindicar a fortuna, então você vai aceitar minha ajuda. Vou morar nesta casa com você, e vou protegê-los.”

Martin afundou no sofá, como se estivesse tentando processar tudo, mas tendo problemas.

“Como você sabe que elas estão sendo… ” ele perguntou.

“Caçadas? Eu tenho minhas fontes.”

“Por quê? Por que você protegeria uma família que você não conhece?”

A verdade passou pela minha mente, mas eu sabia que já tinha dado a ele muito para aceitar. Ele não estava em condições de lidar com a verdade.

“Eu não sou um lobisomem, Martin, mas sou muito poderosa. E gosto de usar esse poder para o bem. O que está acontecendo com sua família não está certo.”

“E se eu dissesse não? Recusasse sua ajuda?”

Sentei-me ao lado dele. Olhei bem em seus olhos e vi o coração de um homem que acabara de perder sua esposa, que estava fazendo tudo que podia para proteger suas filhas.

“Eu ajudaria de qualquer forma”, eu disse, encolhendo os ombros.

Depois de um momento, ele acenou com a cabeça, resignado. “Entendo”, disse ele. “Tudo bem.”

“Vou precisar de um quarto. E precisarei ser informada sobre a sua agenda e a das meninas, suas amigas. Você conheceu alguém novo desde que se mudou?”

Martin balançou a cabeça. “Acabamos de chegar aqui ontem. As meninas estão arrumando as coisas.”

“Ótimo. Elas vão começar a escola na próxima semana, creio eu.”

Ele assentiu. “A escola aqui perto. “

“Você já teve seu compromisso de registro no Casa da Matilha?”

“É a primeira coisa amanhã. “

“Eu vou me juntar a você.”

“Pai?” Nós nos viramos.

Lá na beirada da sala estava a filha mais velha de Martin, Reyna. Ela tinha cabelo castanho escuro puxado para trás dos ombros e pele pálida, que brilhava na sala mal iluminada.

Ela parecia majestosa. O que era apropriado, considerando que ela nasceu para ser a rainha da fortuna Morgan.

Eu fiquei de pé. “Oi, Reyna. Eu sou Eve.”, me apresentei. “Vou morar com você.”

Ela olhou para mim e depois de volta para Martin. “Pai?” ela perguntou novamente.

“Estamos em perigo, querida”, disse ele. “Eve está aqui para nos proteger.”

“Que tipo de perigo?”

“Estamos sendo caçados”, disse uma voz atrás de uma poltrona. Então, a cabeça de Anya apareceu de lado.

“Você deveria estar no seu quarto!” Martin a repreendeu.

“Você deveria nos dizer a verdade”, ela respondeu de volta.

“Morgan!” Eu os silenciei, levantando-me.

“Você quer a verdade? Sim, vocês estão sendo caçados. O que sua mãe deixou é muito valioso e pessoas perigosas estão atrás disso. Mas, comigo aqui, cuidando de vocês, todos estarão seguros.”

Reyna bufou. “Você mal tem mais de um metro e meio.”

Suspirei. Meus olhos se fixaram em uma lâmpada na mesa atrás dela.

A lâmpada levantou lentamente da mesa, levitando por um momento. Em seguida, a movi para a frente e fiz com que circulasse o torso de Reyna até que estivesse flutuando bem na frente de suas mãos.

Anya gritou. Martin engasgou. Mas os olhos de Reyna se arregalaram. Ela abriu as mãos e alcançou o abajur, assim que eu o transformei em pó.

Todos assistiram enquanto a poeira pousava em uma pilha no tapete.

“Então… ” eu disse, observando suas bocas bem abertas. “Estamos entendidos?”

 

Leia o livro completo no app do Galatea!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Química

Faz tempo desde a última transa de Emily. E o último relacionamento? Foi há tanto tempo que ela mal se recorda. O que significa que está na hora de um ter um caso bem picante. Emily está preste a conhecer alguém que vai deixá-la em chamas.

De Repente

Hazel Porter se sentia perfeitamente feliz com seu trabalho em uma livraria e seu apartamento aconchegante. Mas quando um encontro assustador a joga nos braços de Seth King, ela percebe que há mais na vida – muito mais! Ela é rapidamente lançada em um mundo de seres sobrenaturais que ela não sabia que existia, com Seth bem no centro: um Alfa feroz, forte e lindo, que não quer nada além de amá-la e protegê-la. Mas Hazel é humana. Será que isso pode realmente dar certo?

Nas Garras da Paixão

Não existe ninguém no mundo que não ame Scarlet. Ela é jovem, linda, e tem a alma de um anjo… Então é um choque quando o seu amante prometido se revela o impetuoso e cruel Alfa-Rei.

Temido por todos – e com razão- ele retornou depois de sete anos para retomar o que é seu. Será que Scarlet poderá faze-lo abaixar a guarda, ou vai acabar implorando por piedade?

Classificação etária: 18+

A Chama nos Une

Em seu aniversário de dezoito anos, Lydia descobre que está destinada a se casar com o rei Gabriel de Imarnia, e sua vida inteira vira de cabeça para baixo. Usando seus raros poderes de fogo e anos de treinamento, Lydia tenta resistir ao destino a todo momento.

Mas o rei Gabriel tem outros planos…

Classificação etária: 18 +

Autor Original: Suri Sabri

O Mistério de Jack

A enfermeira Riley foi atribuída a um dos pacientes os mais notórios da ala psiquiátrica – Jackson Wolfe. E ele simplesmente é fatalmente sexy, o que é irônico, considerando que todos ao seu redor parecem estar morrendo. Enquanto Jackson atrai Riley com seu charme, será que ela consegue descobrir quem é o assassino… ou é o mesmo homem por quem ela está se apaixonando?

No Rastro das Estrelas

Desde o dia em que nasceu, Rieka foi trancada todas as noites por sua família, incapaz de realizar seu único desejo; ver as estrelas.

Agora, vinte anos depois, ela arquitetou um plano para fugir com seus amigos, mas ela não sabe que este simples ato de rebeldia mudará sua vida para sempre e a colocará na mira de um Alfa que não a deixará partir.

Meu Caubói

O pai ausente de Cora lhe deixa uma grande herança, mas há um problema! Ela tem que cuidar do rancho dele no meio do nada por um ano inteiro. Uma garota da cidade em uma cidade pequena, ela não poderia se sentir mais deslocada. Mas quando ela conhece Hael, o cowboy sexy que trabalha em seu rancho, a vida no campo fica muito mais emocionante…

O Resgate de Maximus

Quando Leila volta à sua cidade natal para ser uma médica da matilha, ela se vê presa entre o passado e o presente—e o amor de dois homens—um belo colega médico e um alfa com um segredo. Mas quem fará seu coração bater mais rápido?

No Fim do Mundo

Savannah Madis era uma aspirante a cantora feliz e alegre até que sua família morreu em um acidente de carro. Agora, ela está em uma nova cidade e uma nova escola, e se isso não fosse ruim o suficiente, ela cruza com Damon Hanley, o encrenqueiro da escola. Damon fica totalmente confuso com ela: quem é essa garota metida a esperta que o surpreende a cada encontro? Ele não consegue tirá-la da cabeça e – por mais que ela odeie admitir – Savannah sente o mesmo! Eles fazem um ao outro se sentirem vivos. Mas isso é o bastante?

O Convite do Alfa

Georgie passou a vida inteira em uma cidade de mineração de carvão, mas só quando seus pais morreram bem na sua frente é que ela percebeu como seu mundo realmente é brutal. Justamente quando ela pensava que as coisas não podiam piorar, a jovem de dezoito anos tropeça no território de uma matilha reclusa de lobisomens que, de acordo com os rumores, são donos das minas. E seu alfa não está muito feliz em vê-la… Ao menos no início!